SP08: Socio-Economic Drivers

O título completo do subprojeto é: Forças sócio-econômicas- uma análise socio-econômica de atores e conflitos sobre decisões do uso da terra– impactos regionais e implementações viáveis. O subprojeto tem como objetivos as palavras chaves de constelações de actores, conflitos regionais, driving forces, lógicas de acção, vulnerabilidade, resiliência, participação, estratégias de governança ambiental e a ecologia política.

Desde a construção da rodovia BR-163 Cuiabá – Santarém pelos governos militares brasileiros no inicio dos anos 1970, migrantes sulistas foram vigorosamente forçados a incorporar a periferia no espaço nacional e internacional. O atual projeto de pavimentação da BR 163 foi influenciado e decorre, em grande parte, de pressões políticas e  reivindicações de atores pertencentes ao agronegócio da soja em Mato Grosso. A aparência destes atores criou um novo espaço para dinâmicas pioneiras, principalmente extração madeireira, garimpo e pecuária. Como resultado, as estratégias específicas causaram ao longo dos anos enormes taxas de desmatamento e numerosos conflitos sobre títulos de terra. Mas hoje em dia o desmatamento não parece ser um ato de progresso e desenvolvimento. O anúncio de integrar a BR-163 em um novo corredor de exportação para o agro-negócio, altas taxas de expansão da pecuária e ausentes estruturas de governança dentro da região, formam a “espinha dorsal” para o desenvolvimento na Amazônia no marco de uma contínua discussão internacional sobre a perda de biodiversidade e o impacto de mudanças climáticas globais.

Atualmente a região é um hot spot na mais recente discussão de frentes pioneiras no bioma amazônico e encontra-se no centro de políticas públicas (ZEE Pará, ZSEE Mato Grosso, Plano BR-163 Sustentável, Distrito Florestal Sustentável, Programma Município Verde etc.) que abordam o conceito de sustentabilidade e sustentam as estratégias de desenvolvimento regionais para esclarecer a problématica dos títulos de terra e para fortalecer o controle e o monitoriamento ambiental. Apesar das taxas de desmatamento serem notavelmente inferiores, a necessidade do aumento de investimentos para realizar projetos alternativos de desenvolvimento regional é maior do que nunca. Neste contexto, a pesquisa concentra-se na estrutura da Political Ecology, analisando constelações de atores e relações de poder, racionalidades específicas de atores e estratégias do uso da terra, bem como os consequentes conflitos e transformações socioeconômicas.

Particular atenção será dedicada à análise das condições do quadro político, das medidas concretas políticas bem como das barreiras e potenciais para integrar os objectivos à mudança climática nas políticas públicas para um desenvolvimento regional sustentável na área de estudo. Os objetivos específicos são

(1) Analisar a expansão da fronteira na área de estudo: ‚driving forces’ bem como os impactos regionais estructurais e económicos da agricultura modernizada

(2) Análise política ecológica: mudanças nas constelações regionais de atores, relações de poder e lógicas de acção no decurso da expansão da soja, pecuária, etc. e respectivamente conflitos de interesse

(3) Análise multi-level da relação conflituosa entre globalização e regionalização dentro do contexto regional específico

(4) Análise das relações rural-urbana: função das interdependências das cidades ao longo da BR-163

(5) Análise de vulnerabilidade respectivamente resiliência dos sistemas regionais da produção: implicações para as estratégias futuras de um ‚desenvolvimento sustentável adaptado‘

(6) Análise da percepção da natureza como avaliação de recursos e biodiversidade: discursos sobre a mudança climática e o desenvolvimento regional no nivel local e seus impactos para a  aceitação das estratégias alternativas de desenvolvimento.


Recent Related Posts